Pirâmides Financeiras: De onde vieram e como atuam

Pirâmides Financeiras: esquemas fraudulentos!

Um assunto que volta a tona de tempos em tempos são as chamadas Pirâmides Financeiras! Mas de onde vieram e o que é uma Pirâmide Financeira.

Então, preste atenção para você não ser enganado!

Os primeiros registros que se tem dos chamados esquemas de pirâmides remontam ao século 19 por volta do ano de 1870. E ao contrário do que muitos pensam, Charles Ponzi não foi o idealizador do esquema de Pirâmide.

O nome da criadora, foi Baldomera Larra Wetoret. Ela criou à época uma estrutura altamente rentável e fraudulenta que depois foi copiada por seus “sucessores”.

Baldomera, era espanhola, casada porém se separou do marido e vamos lembrar que para uma mulher se separar em 1870 não era uma situação muito fácil. Por causa dessa separação ela se viu obrigada a pagar grandes quantias de dinheiro, através de juros, devido aos empréstimos contraídos após sua separação. Foi aí que ela bolou uma estratégia para duplicar o dinheiro que arrecadasse através de um golpe bem elaborado.

Ela montou uma espécie de Clube de Investimentos onde as pessoas investiam seu dinheiro com a promessa de resgata-lo a juros de 30% ao mês, o que era pago através do dinheiro arrecadado da entrada de novos investidores. Com isso ela começou a ficar conhecida em Madrid e fundou a “Caja de Imposiciones” ou Caixa de Depósitos (em tradução livre) e a partir daí longas filas de novos investidores se formaram.

Historiadores dizem que o prejuízo chegou a 22 milhões de reais (dinheiro espanhol da época) e afetou cerca de 5 mil pessoas. Quando se descobriu o golpe em Dezembro de 1876, Baldomera acabou fugindo com o dinheiro para a França mas foi presa, extraditada para a Espanha e em 1879 condenada a seis anos de prisão.

Charles Ponzi

Ela foi a grande inspiradora do imigrante italiano Carlo (ou Charles) Ponzi, que mais tarde, na década de 20, nos Estados Unidos, ganhou notoriedade através da maior fraude daquele século através de um esquema batizado de Esquema Ponzi que angariou aproximadamente cinquenta bilhões de dólares.

O que exatamente Ponzi fez? Ele descobriu que se podia vender cupons postais de resposta internacional (um serviço dos correios), mais caros nos EUA que no estrangeiro e assim, o rumor se espalhou e muitas pessoas decidiram investir suportando Ponzi com capital.

Na verdade, Carlo Ponzi não estava comprando os cupons, ele prometia pagar benefícios de até 100% em três meses usando o dinheiro dos novos investidores para bancar os antigos. Ele chegou até mesmo a se comprometer a devolver o dinheiro de alguns que se mostraram preocupados de não receber e por isso acabou ganhando credibilidade e muitos passaram a investir quantias ainda maiores.

Ponzi estava fazendo bastante sucesso com suas promessas de tal maneira que  em Julho de 1920 ele já tinha ganho milhões de dólares.  Muitas pessoas haviam vendido ou hipotecado suas casas na esperança de atingir elevados juros e graças a este esquema, Ponzi começou a viver uma vida de luxo: comprou uma mansão e também trouxe sua mãe da Itália na primeira classe, até que em agosto de 1920, os bancos e a mídia declararam sua falência, o esquema ruiu e mais tarde ele foi preso e deportado para a Itália.

Bernard Madoff

Outro golpe bastante conhecido foi o de Bernard Madoff que era um investidor com um currículo de invejar qualquer pessoa do mercado financeiro: ex-presidente da Nasdaq, ex-diretor de diversas empresas, participante de destaque em ações beneficentes e figura de grande admiração e respeito em Wall Street.

Madoff tinha clientes de grande poder aquisitivo, era influente e articulado, assim prometia rendimentos de 1% ao mês àqueles que confiavam seus dinheiro a ele através da alegação de não poder revelar sua estratégia de investimento. Em 2009, alguns de seus clientes resolveram resgatar seus investimentos e, como em todo esquema de pirâmide, não havia dinheiro para todos os investidores.

O golpe desfalcou muitas pessoas e atingiu inclusive bancos como o Santander e o HSBC. Madoff foi condenado a 150 anos de prisão e aos 78 anos de idade, cumpre pena na Carolina do norte.

O caso de Madoff é recente mas possui a mesma estrutura da pirâmide financeira de Baldomera, do século 19 o que mostra a recorrência deste tipo de esquema ao longo da história.

Mas, e no Brasil?

Vários foram os casos de Pirâmides Financeiras no Brasil, dentre os mais conhecidos está a Fazendas Reunidas Boi Gordo, que apareceu no final da década de 80 e ficou conhecida no cenário nacional na década de 90.

A promessa era de investimentos que renderiam pelo menos 42% no período de um ano e meio através da criação de bezerros e engorda de bois. Devido ao rendimento muito acima dos investimentos tradicionais, a FRBG atraiu muitos investidores. Em determinada época, devido ao sucesso estrondoso, passou a veicular anúncios no horário nobre da Rede Globo durante os breaks comerciais da novela “O Rei do Gado”, tendo como garoto propaganda o ator Antônio Fagundes.

O esquema começou a ruir no inicio dos anos 2000 quando a empresa já não dispunha de capital para pagar os investidores, entrando em colapso financeiro e arruinando sua credibilidade até então construída.

Como em toda pirâmide financeira, a estrutura não se sustentava, causando prejuízo para os investidores e enriquecendo os idealizadores, uma vez que a Boi Gordo pagava os rendimentos prometidos com o dinheiro dos novos integrantes.

Na mesma época, outra empresa que dizia atuar no ramo de Commodities foi criada. Em 1988 surgia a Avestruz Master, em Goiânia. O objetivo da empresa era captar investidores interessados na compra de aves filhotes com a promessa de uma posterior revenda destas para abate e exportação.

O problema era que a empresa afirmava dispor de aproximadamente 600 mil aves quando na realidade possuía cerca de 38 mil.

O esquema naufragou em 2005 deixando cerca de 40 mil investidores no prejuízo, a maioria no estado de Goiás. Os donos do negócio se refugiaram então no Paraguai e posteriormente a Justiça Brasileira condenou os filhos e o genro de um dos sócios à prisão.

Telex Free, BBom, Priples e outras

Existem muitos outros exemplos como a Telex Free através de serviço de telefone pela Internet – VOIP, BBom, Priples – com serviço de publicidade digital, Blackdever entre outras.

Em resumo, uma Pirâmide Financeira é um esquema ilegal cujo objetivo primário e a receita do negócio advém unicamente da entrada de pessoas que contribuam com um aporte financeiro que irá sustentar algum tipo de serviço ou produto não viável e que só se sustenta se existir novos entrantes. Quando as pessoas percebem e param de aderir, o esquema entra em colapso.

Existem pirâmides onde o CNPJ é inexistente e as mais atuais e refinadas possuem CNPJ registrado mas via de regra não pagam impostos, não tem governança, não possui transparência e ninguém sabe quem são os verdadeiros responsáveis pela empresa. Só ganham aqueles que iniciaram o negócio.

Tem duração média de um ano e meio a dois anos e seus idealizadores são alvos de ações penais, prisões e são obrigados a indenizar os prejuízos causados.

Referências:

https://jus.com.br/artigos/34002/historia-do-marketing-multinivel-e-das-piramides-financeiras

https://es.wikipedia.org/wiki/Esquema_Ponzi

https://jus.com.br/artigos/34002/historia-do-marketing-multinivel-e-das-piramides-financeiras

https://es.wikipedia.org/wiki/Baldomera_Larra

Gostou deste artigo? Compartilhe ele agora:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iniciar o chat
Precisa de alguma ajuda?
Olá, tudo bem? ????

O que você procura? Posso te ajudar?

Aqui na Inspiratori, realizamos consultorias de finanças pessoais, planejamento financeiro e ministramos cursos e palestras também.

Estamos a disposição para o que precisar.