Controle de pequenos gastos. Um dos segredos para ter mais dinheiro

Um erro comum de muitas pessoas

Um dos erros mais comuns das pessoas que não conseguem economizar dinheiro e consequentemente investir em algo para conquistar seus objetivos e garantir seu futuro é certamente desprezar os pequenos gastos do dia a dia.

A ação de comprar algum bem ou serviço, está sempre ligado ao desejo de satisfazer algo que provavelmente está te fazendo falta. Alguma carência ou necessidade a ser suprida, que não satisfeita é redirecionada para a aquisição de algo que irá resolver momentaneamente esse problema.

Porque muitos pais dão tudo que seus filhos desejam, compram todas as modernidades tecnológicas, doces, brinquedos e tudo mais que os pequenos desejam mas muitas vezes mal passam poucas horas por dia com os mesmos? Será que isto não seria uma maneira mais confortável de justificar a falta de tempo e amor dado as crianças através da satisfação das necessidades materiais dos filhos?

Mas o intuito aqui não é discutir a relação entre pais e filhos e sim mostrar que quando não se controla aquilo que se gasta, seja de alto ou baixo valor, entra-se em um ciclo que impede o acumulo de riqueza para a realização do que mais importa para nós. Seja uma viagem, uma casa própria, um carro novo ou um plano de aposentadoria Cada um sabe ou deveria saber onde quer chegar, o que aspira conquistar e qual o esforço necessário para conseguir ter êxito nestes objetivos.

E entre todos os gastos, aqueles que menos se tem controle são os chamados “pequenos gastos”, ou seja, àqueles que a pessoas não se dão conta e que no dia a dia acabam consumindo uma parte do dinheiro ganho.

Dar atenção aos pequenos gastos pode fazer muita diferença

Um lanche rápido ou um salgado no meio do dia, o jornal, a revista comprada para ler nas horas vagas ou no transporte até o trabalho, a gorjeta que se dá a alguém por algum serviço prestado, a doação na igreja, ou talvez até a unha feita na manicure na hora do almoço para aproveitar o tempo, entre tantos outros que acontecem no cotidiano e que a maioria das pessoas nem se dá conta.

“Imagina, aqueles dez reais do lanche não me farão falta”. Quantos, dois, cinco ou dez reais ao longo do dia, da semana e do mês ocorrem sem que não haja nenhum controle e que ao final do mês se transformam em 50, 100 ou mais reais.

Isso não significa que não se pode ter pequenos gastos, a questão principal aqui é a necessidade que deve-se ter em controlá-los para poder, ao analisar estes valores, responder a si mesmo: “Eu posso economizar parte destes gastos ou racionalizá-los de forma a ter mais recursos para investir naquilo que é mais importante para mim e minha família?”

Pressure of work
Tenha uma planilha orçamentária que contemple todos os gastos, inclusive os pequenos

Muitas dívidas, o grande problema dos Brasileiros, podem se iniciar nos pequenos gastos e no consumo compulsivo. Mas falaremos sobre dívidas em próximos posts.

Em resumo, quando se for realizar algum tipo de compra, mesmo aquelas básicas do dia a dia, deve-se sempre fazer três perguntas que irão ajudar na tomada de decisão de ir em frente ou não. São elas:

  1. Eu quero?
  2. Eu posso?
  3. Eu devo?

Com Inteligência Financeira, se vai mais longe!

 

 

 

Gostou deste artigo? Compartilhe ele agora:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iniciar o chat
Precisa de alguma ajuda?
Olá, tudo bem? ????

O que você procura? Posso te ajudar?

Aqui na Inspiratori, realizamos consultorias de finanças pessoais, planejamento financeiro e ministramos cursos e palestras também.

Estamos a disposição para o que precisar.